Quatro times avançam para as finais do torneio de Futebol 7 Amador do Clube dos Jangadeiros

As finais da competição acontecem no dia 06 e 07 de novembro e integram o calendário de eventos alusivos aos 80 anos do clube.

O fim de semana no clube marcou a realização da primeira etapa do Torneio de Futebol 7 amador do Jangadeiros, que faz parte da programação de 80 anos do Clube dos Jangadeiros. Com partidas bem disputadas, quatro times se classificaram para a próxima fase, que acontece nos dias 06 e 07 de novembro. O torneio contou com cinco times inscritos que competiram entre si no último sábado, 2 de outubro, na Ilha dos Jangadeiros. 

Os quatro times que se classificaram para as finais são o POACITY, 33JANGA, MALIBU e APAFUT. Em caso de mal tempo durante a realização das finais da competição, os jogos serão transferidos.

Marque na sua agenda, compartilhe com os amigos!

Confira os resultados do terceiro dia do Estadual de Soling e Hobie Cat

Confira os resultados do terceiro dia de regatas do Estadual de Hobie Cat 16 e Soling. As regatas foram disputadas com um vento sul de 15 nós. A competição continua amanhã, com largada prevista para às 14h. 

Hobie Cat

Soling

Inscrições Torneio de Futebol 7 do Jangadeiros

Eleição definiu membros das Comissões de Ética, Eleitoral e do Plano Diretor do Clube dos Jangadeiros

Em reunião realizada no dia 26 de julho, em acordo com a Ordem do Dia, enviada antecipadamente, foram realizadas as eleições para as Comissões Eleitoral, Ética e Plano Diretor, que apresentaram o seguinte resultado:

Comissão Eleitoral

  • Aleksander Vasconcellos (14 votos)
  • Carlos Henrique de Lorenzi (14 votos)
  • Luiz Stevo Pejnovic (14 votos)
  • Pedro César de Oliveira Filho (14 votos)
  • Ricardo Buiano Hennig (14 votos)

Comissão de Ética

Membros titulares

  • Cláudio Luiz V.C. de Oliveira (14 votos)
  • Eduardo Kucker Zaffari (14 votos)
  • Luiz Américo Haiml (14 votos)
  • Luiz Fernando Velasco (14 votos)
  • Silvio Perez (14 votos)

Membros suplentes

  • Adriano Kneipp (14 votos)
  • Cristiano Roberto Tatsch (13 votos)
  • Renato Brito (13 votos)

Comissão do Plano Diretor

  • Artur B. Pereira Filho (Rep. do Quadro Social) (14 votos)
  • Eduardo Feistauer (Arquiteto) (14 votos)
  • Marcelo Bernd (Rep. do Quadro Social) (14 votos)

Como segundo item da Ordem do Dia, foi aprovada a Alteração Estatutária, a qual havia sido enviada cópia a cada conselheiro por antecipação.

Paulo Renato Möller Paradeda
Presidente do Conselho Deliberativo

 

Abaixo, confira as alterações estatutárias aprovadas:

 

ESTATUTO DO CLUBE DOS JANGADEIROS

 

REDAÇÃO ATUAL
NOVO TEXTO
CAPÍTULO 1
DO CLUBE E SEUS FINS

 

Art. 1º – O CLUBE DOS JANGADEIROS, fundado nesta cidade de Porto Alegre, Capital do Estado do Rio Grande do Sul, a sete de dezembro de mil novecentos e quarenta e um (07/12/1941), com sede à rua Ernesto Paiva, 139, é uma associação sem fins lucrativos de caráter cultural, que visa realizar uma atividade concernente ao desenvolvimento dos desportos, encarados como um eficiente processo de educação física e espiritual. Art. 1º – O CLUBE DOS JANGADEIROS, fundado nesta cidade de Porto Alegre, Capital do Estado do Rio Grande do Sul, a sete de dezembro de mil novecentos e quarenta e um (07/12/1941), com sede à rua Ernesto Paiva, 139, é uma associação sem fins lucrativos de caráter desportivo, social e cultural.

 

Art. 2º – Para atingir seus fins, o CLUBE DOS JANGADEIROS se propõe:  
a) promover e proporcionar a prática do iatismo assim como de outros ramos de esportes náuticos e aquáticos que venha a adotar;  
b) realizar regatas e cruzeiros náuticos, bem como participar de competições organizadas por associações congêneres ou entidades superiores;  
c) estimular o ensino do iatismo e a construção náutica nacional;  
d) promover festividades e reuniões de caráter social e cultural.  
Art. 3º – O CLUBE DOS JANGADEIROS, cujo tempo de duração é indeterminado, tem personalidade e patrimônio distinto dos de seus associados, os quais não respondem solidariamente pelas obrigações por ele assumidas.  
Art. 4º – O CLUBE DOS JANGADEIROS, nos termos da legislação vigente, filiar-se-à às Federações desportivas que administram e dirigem os ramos de desportos por ele praticados, respeitando todas as disposições da referida legislação, bem como dos regulamentos das Confederações e Federações a que estiver vinculado. Art. 4º – O CLUBE DOS JANGADEIROS, nos termos da legislação vigente, poderá filiar-se às Federações desportivas que administram e dirigem os ramos de desportos por ele praticados, respeitando todas as disposições da referida legislação, bem como dos regulamentos das Confederações e Federações a que estiver vinculado.
Art. 5º – Além de sua finalidade precípua, o CLUBE DOS JANGADEIROS pretende estimular os sentimentos patrióticos, tornando os desportos uma expressão da cultura cívica e para tanto, na abertura de qualquer competição esportiva oficial em sua sede social far-se-á o hasteamento solene da bandeira do Brasil, entoando os competidores e assistência o Hino Nacional.  
Art. 6º – Aos representantes dos poderes públicos e das entidades superiores e às autoridades desportivas fica assegurado o livre acesso à Sede Social, com direito as distinções deferidas às funções que exercem. Art. 6º – O CLUBE DOS JANGADEIROS poderá autorizar, por tempo determinado, o livre acesso à sede social aos representantes dos poderes públicos, autoridades civis, consulares, militares, representantes de entidades do setor náutico e desportivo.
CAPÍTULO II
DOS ASSOCIADOS, SEUS DIREITOS E DEVERES

 

Art. 7º – O quadro associativo do CLUBE DOS JANGADEIROS, compõe-se de associados distribuídos pelas seguintes categorias:  
a) Honorários  
b) Proprietários-Ilha  
c) Proprietários  
d) Contribuintes  
e) Aspirantes  
f) Filhotes  
g) Temporários  
§ 1º – Poderá habilitar-se a matrícula  associativa –  mediante  apresentação de proposta devidamente preenchida a assinada pelo proposto e por um proponente, associado do Clube em pleno gozo de seus direitos, qualquer pessoa, independente do sexo, cor, nacionalidade e religião. § 1º – Poderá habilitar-se a matrícula associativa, mediante apresentação de proposta devidamente preenchida e assinada pelo proposto e por um proponente, associado do Clube em pleno gozo de seus direitos, qualquer pessoa, independente do sexo, cor, nacionalidade e religião. Tal proposta ficará afixada na Secretaria Administrativa pelo período de 15 dias após o protocolo da mesma acompanhada de foto atual do proposto
§ 2º – As propostas serão julgadas pela Diretoria, de acordo com este Estatuto e através de normas para tal estabelecidas. § 2º – As pessoas físicas ou jurídicas, ao assinarem a respectiva proposta para associar-se, deverão declarar expressamente que aceitam o Estatuto do Clube e o Regimento Interno como bons e estarem dispostas a cumprir todas as obrigações deles constantes.
§ 3º – As pessoas físicas ou jurídicas, ao assinarem a respectiva proposta para associar-se, declaram expressamente aceitarem o Estatuto do Clube e o Regimento Interno como bons e estarem dispostas a cumprir todas as obrigações deles constantes. § 3º – As propostas de associação serão encaminhadas para a Comodoria, e submetidas ao processo de admissão no quadro associativo, mediante escrutínio secreto, observando o regramento do Estatuto e das seguintes definições:

a)                   Qualquer associado poderá encaminhar por escrito, à Comodoria, solicitação de impugnação à proposta de associação, no prazo contido no parágrafo primeiro do artigo 7º. 

b)                  As solicitações de impugnação serão lidas na reunião de Comodoria que deliberar sobre a proposta de associação. apreciadas pela Comodoria.

c)                   As propostas de associação serão submetidas ao escrutínio secreto dos integrantes da Comodoria, ainda que não tenha havido impugnação.

Será considerada aprovada a proposta que obtiver voto favorável de mais da metade dos presentes na reunião de Comodoria em que tal proposta for avaliada. Havendo empate após o escrutínio, o Comodoro desempatará.

§ 4º – O proposto somente poderá freqüentar o CLUBE DOS JANGADEIROS depois de aceito no quadro associativo, exceto os Filhotes, os Aspirantes e os filhos de associados quando se habilitarem à nova categoria de associados por força deste Estatuto. § 4º – O proposto somente poderá frequentar o CLUBE DOS JANGADEIROS depois de admitido aceito no quadro associativo, exceto os Filhotes, os Aspirantes e os filhos de associados quando se habilitarem à nova categoria de associados por força deste Estatuto
§ 5º – Toda vez que por força deste Estatuto, um Filhote tiver que passar para Aspirante ou um Aspirante para Proprietário-Ilha ou Contribuinte, deverá o mesmo apresentar a proposta normal, que terá o mesmo andamento e estudo por parte da Diretoria, para aprovação ou não. § 5º – Toda vez que por força deste Estatuto, um Filhote tiver que passar para Aspirante ou um Aspirante para Proprietário-Ilha ou Contribuinte, deverá o mesmo apresentar a proposta normal, que terá o mesmo andamento e estudo por parte da Diretoria, para aprovação ou não. Tal proposta fica dispensada de afixação na Secretaria Administrativa.
§ 6º – São considerados Fundadores os que até o momento da fundação do Clube, assinaram a lista de adesão.  
Art. 8º – Os associados das categorias Proprietários-Ilha e Proprietários, poderão possuir a condição de Beneméritos, Laureados, Remidos e Jubilados, e os associados das categorias Contribuintes, Aspirantes e Filhotes, a condição de Laureados.  
Art. 9º – Como homenagem especial e tendo em vista os relevantes serviços prestados ao iatismo brasileiro em geral e ao CLUBE DOS JANGADEIROS em particular,é conferido ao SR. LEOPOLDO GEYER o título singular e perpétuo de PATRONO DO CLUBE DOS JANGADEIROS.  
Art. 10 – São Associados Honorários: Art. 10º – São Associados Honorários:
a) Os titulares dos seguintes cargos: Comandante da Marinha, Governador do Estado, Prefeito de Porto Alegre, Comandante do 5º Distrito Naval, Capitão dos Portos do Estado, Capitão dos Portos de Porto Alegre, Ministro dos Desportos, Presidente da Confederação Brasileira de Vela, Secretários Estadual e Municipal de Esportes e Presidente da Federação de Vela do Estado do Rio Grande do Sul, enquanto no exercício de suas funções; a)  Os titulares dos seguintes cargos: Presidente da República, Comandante da Marinha, Governador do Estado, Prefeito de Porto Alegre, Comandante do 5º Distrito Naval, Capitão dos Portos do Estado, Capitão dos Portos de Porto Alegre, Ministro dos Desportos, Presidente da Confederação Brasileira de Vela, Secretários Estadual e Municipal de Esportes e Presidente da Federação de Vela do Estado do Rio Grande do Sul, enquanto no exercício de suas funções.
b) Qualquer pessoa à qual, como homenagem especial, o Conselho Deliberativo conferir esta distinção.  
Art. 11 – Pertencem à categoria de PROPRIETÁRIOS-ILHA as pessoas físicas ou jurídicas que, tendo adquirido um Título de Proprietários-Ilha da associação, apresentarem proposta para associar-se e vierem a ser admitidas ao quadro social, nas condições prevista neste Estatuto. Art. 11º – Pertencem à categoria de PROPRIETÁRIOS-ILHA as pessoas físicas ou jurídicas que, tendo adquirido um Título de Proprietário-Ilha da associação, apresentarem proposta para associar-se e vierem a ser admitidas ao quadro social, nas condições prevista neste Estatuto.
§ 1º – O número de associados Proprietários-Ilha será regulado pela emissão de novos Títulos Patrimoniais-Ilha, a critério do Conselho Deliberativo.  
§ 2º – São considerados Pioneiros os associados pertencentes à categoria de Proprietários-Ilha, como previsto neste artigo, que adquiriram, quando do lançamento, um dos duzentos (200) primeiros Títulos Patrimoniais-Ilha emitidos pelo Clube.  
§ 3º – A aquisição de um Título Patrimonial-Ilha confere ao adquirinte apenas e tão somente, direitos patrimoniais. Os demais direitos sociais e, conseqüentemente, as respectivas obrigações, somente serão usufruídos e exigidos quando o adquirinte tiver apresentado proposta e sido aceito na categoria prevista neste artigo. § 3º – A aquisição de um Título Patrimonial-Ilha confere ao adquirente apenas e tão somente, direitos patrimoniais. Os demais direitos sociais e, consequentemente, as respectivas obrigações, somente serão usufruídos e exigidos quando o adquirente tiver apresentado proposta e sido aceito na categoria prevista neste artigo.

 

§ 4º – Os associados da categoria prevista neste artigo, quando pessoas jurídicas, poderão indicar até três (03) pessoas físicas, como seus representantes, para usufruírem dos direitos e cumprirem as obrigações sociais. A partir de 26 de novembro de 1985 entretanto, o número de representantes fica limitado a uma só pessoa física, devendo a mesma ser funcionalmente vinculada à pessoa jurídica. A aceitação deste representante está sujeita às normas previstas nos §§ 1º a 4º do Art. 7º deste Estatuto. § 4º – Os associados da categoria prevista neste artigo, quando pessoas jurídicas, poderão credenciar pessoas físicas com vínculo contratual ou societário como seus representantes, independentemente do pagamento taxa de ingresso, para usufruírem dos direitos e cumprirem as obrigações sociais. As pessoas jurídicas pagarão uma mensalidade por pessoa credenciada. O valor desta mensalidade será 50% superior à mensalidade paga pelo Sócio Patrimonial-Ilha pessoa física. Ainda que a pessoa jurídica não tenha nenhum credenciado, a mensalidade paga nunca será inferior a 1 (uma) mensalidade. A aceitação das pessoas credenciadas está sujeita às normas previstas nos §§ 1º a 4º do Art. 7º deste Estatuto.
§ 5º – Os associados da categoria prevista neste artigo quando por motivo de saúde ou formação acadêmica e / ou profissional, necessitarem comprovadamente ausentar-se do país por um período superior a 06 (seis) meses poderão requerer e obter licença por período de até um ano, prorrogável por igual prazo, a critério da diretoria. Obtida a licença, os direitos de associado ficarão e suspenso, passando ele a pagar, enquanto durar seu afastamento, a título de taxa de conservação e manutenção, uma importância mensal igual a 25% da mensalidade vigente. § 5º – Os associados da categoria prevista neste artigo que necessitarem ausentar-se do Clube poderão, mediante requisição formal, obter licença por período mínimo de 12 (doze) meses e máximo de 36 (trinta e seis) meses. Obtida a licença, todos os direitos de associado ficarão em suspenso, passando ele a pagar, enquanto durar seu afastamento, a título de taxa de conservação e manutenção, uma importância mensal igual a 25% da mensalidade vigente.

 

§ 6º – Sendo de doze meses o prazo mínimo de duração da licença, o associado que a tendo requerido, desejar seu cancelamento antes de decorrido este lapso de tempo, deverá pagar uma taxa de reingresso no valor de seis (06) mensalidades. § 6º – Associados licenciados que desejarem o cancelamento da licença antes de 12 (doze meses), deverá pagar uma taxa de reingresso no valor de seis (06) mensalidades.

 

  § 7º – Os associados Proprietários-Ilha poderão se demitir do quadro social a qualquer tempo, mediante comunicação protocolada na Secretaria do Clube.

 

Banheiros revitalizados na Ilha dos Jangadeiros são inaugurados

Colaboração dos associados na campanha #JuntosPeloJanga e determinação do trabalho realizado e parcerias para o projeto foram os pontos destacados na modernização do ambiente.

O final de tarde desta quinta-feira, 20 de maio, encerrou com a inauguração da placa de mais uma obra concluída na sede do Clube dos Jangadeiros: a reforma dos banheiros da Ilha do Jangadeiros.

Com a presença da Comodoria do clube, a cerimônia foi marcada pela entrega oficial do trabalho realizado com a contribuição dos associados, através da campanha #JuntosPeloJanga. Na placa, os agradecimentos a todos que contribuíram para a iniciativa ficaram registrados e eternizados na história do clube, como exemplo de cooperação e união para fazer com que o Jangadeiros seja cada vez melhor.

Comodoria oficializa a entrega dos banheiros reformados na Ilha dos Jangadeiros

A ação teve como objetivo a modernização do espaço, em um projeto realizado pelo arquiteto Antônio Joaquim Machado, que contou com o apoio da Axelrud Arquitetura e Assessoria e também da Roca, líder mundial em soluções para banheiros. Na solenidade, Antônio Joaquim Machado, Diretor de Sede do CDJ, destacou o trabalho realizado para a revitalização e modernização do ambiente. “Este era um sonho antigo dos associados e um projeto que sempre se pensava em fazer, porém as condições econômicas não davam viabilidade para a realização. Com o incentivo e auxílio da Sandra, em conseguir o apoio da Roca, ganhamos aquele ‘empurrão’ que faltava para colocar o trabalho em prática que, junto com a Comodoria do clube, que também investiu nesta obra, terminou com todas as benfeitorias que pensamos. Enfim, missão cumprida”, destacou o diretor.

Comodoria oficializa a entrega dos banheiros reformados na Ilha dos Jangadeiros

Logo após, arquiteta, associada e velejadora Sandra Axelrud Saffer, da empresa Axelrud Arquitetura e Urbanismo, relembrou também da reforma dos banheiros do pavilhão dos monotipos e falou sobre o projeto. “Quando o Mário Dubeux, que também contribuiu para o trabalho, falou comigo, eu logo pensei: acho que eu tenho um fornecedor que pode se interessar em transformar o Jangadeiros em uma referência para apresentação de seus materiais. Foi aí que realizamos a reunião com a Roca, traçando uma estratégia para fazer esta parceria que resultou em materiais de alta qualidade com preços mais acessíveis. Eu queria dar parabéns pelo empenho em executar com maestria tudo isso e destacar também o trabalho do Joaquim, que foi incansável nesta obra”, disse Sandra.

Por fim, o Comodoro Pedro Pesce agradeceu o apoio de Antonio Joaquim Machado e Sandra Axelrud, além da parceria da Roca, a cooperação dos associados na campanha #JuntosPeloJanga, a colaboração dos sócios jubilados que também contribuíram para a ação e o empenho de todos os Vice-Comodoros durante a gestão.

Abaixo, confira os nomes (em ordem alfabética) dos associados que contribuíram para a campanha #JuntosPeloJanga:

Aimée Virgínia Bento Soares, Alexandre Alvarez Gadret, Aline Severo Faria, Andrea de V. Silva Nazzar, Angelo Alberto Viero, Álvaro Bernardes Junior, Armando Oliveira Ramos, Antonio Joaquim Machado, Carlos Iran Strassburger, Carlos Humberto Goidanich, Carlos Roberto Becker, Christian Eipeldauer, Cláudio Luiz V. C. Oliveira, Cristiano Roberto Tatsch, Elso Kruger, Emilio Strassburger, Fábio Amaral Ribas, Fábio Luiz Zanon, Flávio Schenkel da Silva, Frank Edward Cranston Woodhead, Gabriel Crusios Bueno, Geraldo Eblingenck, Gilberto de Carvalho, Guilherme Pesce, Henrique D’ávila, Henrique M. R. de Freitas, Ivon Luiz Oliveira Junior, Joana de Macedo Braga, Joannes Sleutjes, João Borges Fortes Filho, José Carlos Troian, Jorge Vasconcelos Bastian, Júlio César Borella, Lincoln Martins da Rosa, Lucia Fleck Altmayer, Luciana Dieterich Boff, Luiz Fernando Schramm Pereira, Luiz Univaldo Comparsi, Manuel Antonio Ruttkay Pereira, Marcelo Dutra de Oliveira, Marcelo Kern, Marco Aurélio Paradeda, Marcus Vinicios Saraiva Cardoso, Maria do Carmo Ribeiro Tellechea, Maria Izabel Schneider Severo, Martinho Alexandre R. A. da Silva, Mathias Otto Renner, Moacyr Saffer, Nelson Ferreira Fontoura, Otávio Driemeyer Junior, Paulo Angonese, Paulo Doring Vier, Pedro Antonio Pereira Pesce, Paulo Roberto Arnt Conte, Pedro Cesar Oliveira Filho, Pedro Chiesa, Pedro Luiz H. Latino, Pedro Tellechea Chaves Barcellos, Rafael S. Paradeda, Renan Anzolch, Ricardo Nino Piggato, Roberto Bins Ely, Roberto Gruner, Rodrigo Crespo Pont Beheregaray, Rodrigo Linck Duarte, Rodrigo Pesce, Rodrigo Souza Baldino, Ruben Daniel Castiglioni, Sérgio Martins Oliveira, Sérgio Zoccoli de Castro, Tânia Maria Prytoluk Lima, Waltraut Hely Becker.

Confira as fotos da cerimônia.

Atletas da Flotilha da Jangada participaram da Copa Veleiros de Monotipos em Santa Catarina

A importância de treinar em regatas no mar foi um dos principais objetivos para os velejadores da classe Optimist do Clube dos Jangadeiros na competição.

No último final de semana, dias 15 e 16 de maio, os atletas da Flotilha da Jangada disputaram a Copa Veleiros de Monotipos, competição que reuniu mais de 60 embarcações nas duas etapas realizadas em Jurerê, Santa Catarina.

Com o objetivo de intensificar a sequência de treinamentos dos velejadores da classe Optimist do Clube dos Jangadeiros, a competição garantiu ainda mais experiência para os atletas e destacou a importância dos treinos de regata no mar, além de marcar a estreia dos estreantes em competições no mar, conforme destacou o técnico Tiago Brito.

“Foi uma boa experiência para seguir os treinos e, principalmente, velejar no mar, já que para muitos dos nossos velejadores foi a primeira vez em que participam de regatas nessa condição. No evento tivemos diversos níveis, desde os estreantes até os veteranos que estão em preparação para viajar e participar das competições internacionais da classe. As regatas foram importantes para se adaptar ao velejo do mar e foram boas para a interação e união da equipe”, disse o treinador, que ainda destacou que a equipe segue na sequência de treinos em preparação para as próximas competições.

A primeira etapa do evento aconteceu no sábado (15), com a realização de três regatas, e a segunda etapa, que também contou com três regatas realizadas, aconteceu no domingo (16). Além do Optimist, a competição também contou com as classes Laser (Radial, Standard e 4.7), Snipe, 29er e Hobie Cat 16 e foi promovida pelo Iate Clube de Santa Catarina Veleiros da Ilha.

Confira abaixo as súmulas.

1º etapa
2ª etapa

XXX TROFÉU CAYRU DE VELA DE OCEANO | GALERIA DE IMAGENS

Atletas do Jangadeiros disputam Campeonato Sul-Americano Virtual de 29er

Reunindo e movimentando os velejadores da classe, competição acontece entre os dias 16 e 21 de abril.

A partir de amanhã, 16 de abril, os velejadores da Flotilha de 29er do Clube dos Jangadeiros participam do Campeonato Sul-Americano Virtual da classe.

O campeonato segue as regras das regatas virtuais (The Virtual Racing Rules of Sailing – VRRS) implementadas pelo jogo Virtual Regatta Inshore e será realizado em uma série de qualificação seguida por uma série final. Devido ao limite do número de barcos em cada regata no jogo, os competidores serão distribuídos diariamente em flotilhas.

Nos primeiros três dias, no período da tarde, acontecerão três regatas qualificatórias para as flotilhas verde, amarelo, azul e branco, totalizando nove regatas na fase classificatória. Na série final, três regatas estão programadas para a flotilha ouro e uma regata para as flotilhas prata, bronze e esmeralda.

“Os campeonatos virtuais nos mantêm em contato com a vela, pois neles conseguimos aplicar conhecimentos sobre regras de regata e as raias, como ângulo de velejada, inércia, rajadas, entre outras coisas. Também faz com que mantenhamos contato com outros velejadores espalhados pelo mundo”, destacou Manoela Pereira da Cunha, atleta da classe 29er do Clube dos Jangadeiros.

Os resultados das regatas serão divulgados ao final do dia no site da Vela Viagem, clicando neste link.

A competição, que busca reunir os atletas e promover atividades neste período de prevenção ao Coronavírus, tem o apoio da Vela Viagem, Allcatrazes e Vento Leste.

Velejadores do Jangadeiros fecham entre os dez melhores do 71º Campeonato Brasileiro de Snipe

Duplas Tiago Brito e Giovanne Pistorello e Gabriel Kieling e Átila Pellin terminaram no top 10 da competição, que foi realizada no Yacht Clube da Bahia.

O 71º Campeonato Brasileiro de Snipe chegou ao fim na tarde deste sábado, 25 de janeiro, com as últimas regatas nas águas da Baía de Todos os Santos, em Salvador.

Na classificação final, duas duplas do Clube dos Jangadeiros terminaram entre as dez melhores da competição. Os atletas Tiago Brito e Giovanne Pistorello ficaram na oitava posição, enquanto Gabriel Kieling e Átila Pellin encerraram em nono lugar.

Também representando o clube, a dupla Martin e Philipp Rump fechou em 15º lugar, e Caio Pantoja e Lucas Bagolin encerraram em 38º. O título brasileiro da classe foi conquistado por Matheus Tavares e Flávio Castro, do Yacht Clube da Bahia e do Iate Clube do Rio de Janeiro.

Realizado entre 17 e 25 de janeiro, o Campeonato Brasileiro de Snipe foi promovido pelo Yacht Clube da Bahia e a Associação Internacional da Classe Snipe (SCIRA).

Confira aqui a súmula final.