Posts

Batizado no 69º Brasileiro de Snipe!

Alegria e compromisso com a Classe

Os atletas que velejam primeira vez em um campeonato nacional não escapam do batizado. É um momento de brincadeiras, mas também de responsabilidade de representar bem o Snipe, uma das classes mais difíceis pela alta exigência técnica e de maior número de praticantes no País.

Neste Brasileiro, que foi sediado pelo Janga pela sexta vez, mais de 20 atletas foram batizados. “Esta tradição acontece há mais de 50 anos”, diz Cuca Sodré, presidente da Comissão de Regatas nesta edição do evento que reuniu em janeiro cerca de 120 atletas de diferentes estados.

Xandi Paradeda e Lucas Mazim assumem liderança do 69° Campeonato Brasileiro da Classe Snipe

Depois de um dia sem regatas, por conta das condições do vento, o 69° Campeonato Brasileiro da Classe Snipe voltou a ativa nesta quinta-feira (25), com a realização de três provas, para recuperar uma das disputas canceladas na quarta-feira.

Após a realização de cinco regatas, a dupla atual campeã nacional, formada por Alexandre Paradeda e Lucas Mazim, do Clube dos Jangadeiros, é o grande destaque, ocupando a liderança geral.

O equilíbrio marcou o segundo dia de torneio. O presidente da comissão de regatas, Cuca Sodré considerou que o “vento esteve ideal” para a realização da competição nessa tarde. Na primeira prova, Leonardo Lombardi e Fábio Kohler, do Iate Clube do Rio de Janeiro, chegaram na frente. Enquanto Roberto Paradeda e Phillip Grochtmann, do Clube dos Jangandeiros, venceram a segunda etapa. No último páreo, Xandi e Lucas levaram a melhor, resultado fundamental para assumir a ponta da tabela de classificação.

A diferença entre os primeiros colocados ainda é pequena, algo natural na classe Snipe, que é marcada justamente pelo equilíbrio e pela alta exigência técnica dos atletas.

A expectativa é que nesta sexta-feira possam ser realizadas outras três regatas, com a inicial começando às 13h. A disputa será encerrada no sábado, com as provas finais e a premiação dos velejadores.

Confira os cinco primeiros colocados no 69º Campeonato Brasileiro da Classe Snipe, até o momento:

1° – Alexandre Paradeda e Lucas Mazim

2° – Roberto Paradeda e Phillip Grochtmann

3° – Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewiski

4° – João Pedro Souto de Oliveira e Fernando Tovar

5° – Tiago Brito e Antônio Rosa

Confira o resultado completo: https://goo.gl/wF5J1M

 

Vencedores na Regata de Abertura, dupla de Santos termina terça-feira (23) na liderança do 69° Campeonato Brasileiro da Classe Snipe

Na tarde desta terça-feira (23) começaram as regatas de pontuação do 69° Campeonato Brasileiro da Classe Snipe, no Clube dos Jangadeiros, em Porto Alegre. Depois de conquistarem a Regata de Abertura, mais uma vez o destaque do dia foi a dupla Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewiski, do Iate Clube de Santos, que está na primeira posição geral.

Mesmo após o bom início no Brasileiro, Rafael Gagliotti mantém a cautela quando comenta a disputa pelo título: “o campeonato só termina quando acaba. Temos que nos concentrar, mesmo indo muito bem hoje. Faltam muitas regatas e só com um descarte, ainda tem chance para todo mundo. Mesmo quem está mal, tem possibilidades de terminar muito bem”.

A primeira prova foi marcada pelo adiamento da largada em três oportunidades, devido a mudança constante na direção do vento. Na quarta tentativa, às 15h30, os 120 atletas inscritos iniciaram a competição. Nesta disputa, Felipe Rondina e Cristian Shaw levaram a melhor, com Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewiski chegando logo atrás.

Na regata subsequente, os vencedores foram João Pedro Souto de Oliveira e Fernando Tovar, novamente com Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewiski terminando na segunda posição.

Os atuais campeões e velejadores da casa, Alexandre Paradeda e Lucas Mazin, finalizaram o dia com o terceiro lugar geral.

Os barcos voltam para a água do Guaíba nesta quarta-feira, às 14h. Serão disputadas duas regatas por dia, até sábado (27), data da premiação do evento.

Confira os três primeiros colocados na classificação geral:

1° – Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewiski

2° – João Pedro Souto de Oliveira e Fernando Tovar

3° – Alexandre Paradeda e Lucas Mazin

 

Cerimônia de abertura e premiação da Regata de Abertura:

 

Primeiro dia de regatas, terça-feira (23):

Dos 11 aos 74 anos: Grande nome da vela mundial, Paulo Santos disputa Brasileiro de Snipe em Porto Alegre

Há milhões de pessoas no mundo, inúmeros personagens de uma mesma história. Entre tantos, alguns se destacam e chamam a atenção quando conhecemos as suas experiências. Paulo Santos é uma dessas pessoas que encantam. O atleta é um dos grandes nomes da vela mundial, principalmente na classe Snipe. O velejador está em Porto Alegre para a disputa do 69° Campeonato Brasileiro da categoria, que ocorre até sábado (27), no Clube dos Jangadeiros.

Paulo Santos é um dos competidores mais experientes do torneio. Aos 74 anos, soma cinco títulos Brasileiros, dois Europeus e duas medalhas de bronze em Mundiais, entre outros títulos na extensa carreira.

Apesar de hoje ser mais brasileiro do que qualquer outra coisa, Paulo nasceu em Angola, uma das ilhas próximas a Portugal. Muito jovem, com apenas 11 anos começou velejar nas águas de sua terra natal.

“Meu pai tinha barcos em Angola, em uma praia linda. Sempre gostei de ver os barcos a vela, me inscrevi na escolinha e como tinha um certo dom, consegui desde pequeno me destacar”, lembrou.

O talento natural logo ficou evidente e a carreira como velejador virou uma obviedade na vida de Paulo Santos. Inclusive, o atleta estava classificado para representar Portugal na Olimpíada de 1972, em Munique. Contudo, a Guerra Civil de Angola obrigou Paulo a encontrar um novo lar: o Brasil.

“Não consegui ir para a Olimpíada. Tive de fugir para o Brasil. O meu barco chegou e não deu tempo nem de abrir o caixote. Esta foi uma experiência muito negativa, mas já havia visitado o Brasil e escolhi este país para morar. Para mim, é o melhor país do mundo”, contou.

Há mais de 40 anos em terras brasileiras, Paulo Santos virou um dos principais destaques da classe Snipe no país, respeitado pelos títulos conquistados e pela história. Aos 74 anos e com a motivação de um garoto, o velejador ainda busca conquistas na carreira e tem uma nova oportunidade aqui, em Porto Alegre. O atleta projeta uma participação positiva no 69º Campeonato Brasileiro da Classe Snipe.

“Fiquei no Rio de Janeiro treinando 10 dias seguidos, em média 4 horas por dia. Para qualquer campeonato importante treinamos no mínimo 30 horas. Expectativa é de um bom resultado, dependendo dos ventos. Já conheço bastante as provas aqui, em Porto Alegre. Inclusive fui campeão brasileiro velejando no Jangadeiros”, comentou.

Por ser uma das referências da Classe Snipe e um dos velejadores mais experiências atuando em competições de alto nível, Paulo Santos ressalta a importância da categoria para o mundo da vela: “O Snipe é a classe que mais me apaixona, não só pela dificuldade, é uma classe muito difícil pelo preparo físico e que exige muita técnica. Por isso eu escolhi a classe nestes meus últimos anos de vela, por exigir muito de mim e ser extremamente competitiva. É um barco antigo, que exige muita dedicação, muito treino, muitas horas em cima do barco. É um barco que exige muito. O Brasil é referência, um dos maiores vencedores do Snipe. Além disso, é uma classe que cria grandes e novos velejadores. Robert Scheidt começou no Snipe, Torben Grael a mesma coisa”.

A primeira regata de pontuação iniciou nesta terça-feira (23), às 14h. As regatas seguem até sábado (27). No mesmo dia, às 18h, acontece a premiação na Sede da Ilha.

 

Clube dos Jangadeiros volta a ser o centro da vela. Recebe cerca 120 atletas para o 69º Campeonato Brasileiro da Classe Snipe

A tradicional competição da classe Snipe, da qual o Clube dos Jangadeiros já foi campeão 26 vezes – 11 desses títulos conquistados pelo multicampeão Alexandre Paradeda – acontece de 20 a 27 de janeiro, em Porto Alegre, nas águas do Guaíba. A Regata e a Cerimônia de Abertura estão marcadas para esta segunda-feira (22), às 15h. As regatas que contam pontos iniciam
na terça-feira (23), às 14h.

Esta é a sexta vez que o Janga é anfitrião de um dos mais importantes campeonatos da agenda nacional da vela.

O Clube dos Jangadeiros será anfitrião de mais um campeonato nacional da vela. Desta vez, recebe em sua sede na Zona Sul de Porto Alegres o 69º Campeonato Brasileiro da classe Snipe, durante os dias 20 e 27 de janeiro. Um dos principais eventos da agenda nacional da vela, a expectativa é que o campeonato reúna mais de 120 velejadores de todo o País.

No primeiro dia, a programação será de reuniões técnicas e confirmações das inscrições. Na segunda-feira (22), às 15h, acontece a Regata e a Cerimônia de Abertura e na terça-feira (23) começam para valer as regatas que contam pontos. O campeonato segue até sábado (27), mesmo dia da premiação, às 18h, nas categorias Geral (1º ao 10º Lugar), Júnior (1º ao 5º lugar), Master (1º ao 5º Lugar), Misto (1º ao 2º lugar) e Feminino (1º ao 2º Lugar).

Atuais campeões nacionais: Alexandre Paradeda e Lucas Mazim

A dupla Alexandre Paradeda, o Xandi, e Lucas Mazim, o ‘Sorriso’ são presença certa no Campeonato que está sendo sediado no Clube pela sétima vez, a última foi em 2011. Onze vezes Campeão nacional, Xandi não esconde a alegria de competir em casa. “Voltar a correr um brasileiro no Janga traz sempre uma expectativa muito grande. A flotilha do Clube cresceu muito nos últimos anos. Ganhamos três dos últimos quatro brasileiros. Por ser em casa motiva todos a fazerem um grande campeonato”, diz.

Além de levantar a taça de campeão nacional em Ilhabela, em 2017, o Clube dos Jangadeiros conquistou o Mundial Júnior da classe na Espanha com a dupla Tiago Brito e Antonio Rosa e no Estadual do Snipe Fevers 2017 dominou o pódio com Gabriel Kieling e Átila Pellin como campeões.

Como registro histórico, vale mencionar que o Campeonato Mundial de Snipe de 1959, realizado no Jangadeiros, marcou o mundo esportivo na época, pois foi o primeiro realizado fora dos Estados Unidos e da Europa, reunindo tripulações de 16 países na capital gaúcha.

O Snipe é um barco de 4,72 metros para duas pessoas, desenhado por William Crosby em 1931. Uma das classes mais antigas da ISAF Sailing World Championships, com um grande número de flotilhas espalhadas pelo mundo.

Campeões Mundiais Júnior de Snipe: Tiago Brito e Antônio Rosa 

SERVIÇO

O que: 69º Campeonato Brasileiro da Classe Snipe
Quando: 20 a 27 de janeiro de 2018
Onde: Clube dos Jangadeiros (Rua Ernesto Paiva, 139 – Tristeza, Porto Alegre – RS)
Aviso de Regata: https://goo.gl/sc6YUU
Mais informações: Secretaria Esportiva do Clube dos Jangadeiros, esportiva@jangadeiros.com.br,  (51) 3094-5764, com Claudia ou Iara.

PROGRAMAÇÃO DO 69º CAMPEONATO DA CLASSE SNIPE

Clube dos Jangadeiros – Porto Alegre

Data Horário Programação Local
20/01/2018 – Sábado 9h às 17h Recepção, medições e confirmações de inscrições Secretaria
21/01/2018 – Domingo 9h às 17h Recepção, medições e confirmações de inscrições Secretaria
22/01/2018 – Segunda-feira 10h30min Reunião de comandantes Bar Snipe
15h Regata de abertura (não conta pontos)
Abertura do evento
19h Premiação da Regata de Abertura Sede da Ilha
23/01/2018 – Terça-feira 14h Regatas do dia
24/01/2018 – Quarta-feira 14h Regatas do dia
25/01/2018 – Quinta-feira 14h Regatas do dia
26/01/2018 – Sexta-feira 14h Regatas do dia
27/01/2018 – Sábado 13h Regatas do dia
18h Premiação Sede da Ilha

CONHEÇA UM POUCO DE HISTÓRIA DO SNIPE NO JANGADEIROS

Publicamos, mais uma vez, com atualizações, este texto muito bem escrito pelo nosso querido sócio e velejador Claudio Aydos, memória do nosso Clube e presença sempre encantadora pelas suas grandes histórias e cordialidade sem fim.

“A classe Snipe foi introduzida em Porto Alegre no início de 1953, com a fundação da primeira flotilha, no Iate Clube Guaíba. Poucos meses depois o Clube dos Jangadeiros aderiu à classe, fundando a flotilha 426.

A classe Snipe caiu como uma luva para a nova geração de iatistas que estava surgindo. Dos tradicionais velejadores da classe Sharpie 12m2, ao que me lembre, somente Gastão Altmayer e Alfredo Bercht, aderiram ao Snipe.

Apenas dois anos depois, nossa famosa dupla Gabriel Gonzalez/Nelson Piccolo venceu pela primeira vez o Campeonato Brasileiro da classe. Com isso, conseguimos cacife para sediar e organizar o VI Campeonato Brasileiro de Snipes, no qual Gabriel e Nelson repetiram a dose, sagrando-se bicampeões nacionais.

Um dos grandes atrativos e estímulo da classe Snipe era o fato de ela ser organizada internacionalmente, proporcionando a oportunidade de viagens nacionais e internacionais aos melhores colocados.

A dupla vitória de Gabriel e Nelson nos campeonatos brasileiros classificou-os para, em outubro de l956, representar o Brasil no Campeonato do Hemisfério Ocidental em Hamilton, nas ilhas Bermudas. Essa foi a primeira participação do nosso Jangadeiros fora do Brasil.

Em 1957, outra jovem dupla nossa, Kurt Keller/Sergio Christo sagraram-se campeões brasileiros em Maceió/ Alagoas, classificando-se para o campeonato mundial da classe em Cascais/Portugal. Voltaram de lá, devidamente credenciados pela SCIRA (órgão máximo da classe Snipe) para que o nosso Clube dos Jangadeiros, organizasse e sediasse o Campeonato Mundial de Snipes de 1959. Essa seria à primeira vez na historia que um campeonato mundial de vela ia ser realizado no hemisfério sul e fora, portanto do eixo Europa-Estados Unidos. Esse certame, pela sua impecável organização, colocou nosso clube em evidência no cenário do iatismo mundial.

34 anos depois, em 1993, o Jangadeiros volta ser sede do Mundial de Snipe, e George Nehm, conhecido como Dodão, e Fernando Krahe, se consagram vice-campeões.

Daí para diante, foi uma sequência de organizações, participações e conquistas que deram ao Jangadeiros, o prestígio de que ele hoje desfruta no Brasil e no mundo.”

Campeonatos da classe Snipe sediados e organizados pelo Jangadeiros

  • Mundiais : 1959 e 1993
  • Sul-americanos: 1991 e 2014
  • Brasileiros: 1956, 1959,1991, 2002, 2011

Títulos conquistados no Snipe

  • Campeões Mundiais: 1967, 1997 (Mundial Júnior), 2001, 2017 (Mundial Júnior)
  • Campeões Pan-americanos: 1967 e 2007
  • Campeões do Hemisfério Ocidental: 1976 e 2004
  • Campeões Sul-americanos: 1973,1975,1987,1991,1992,1994, 1995, 2002, 2009 e 2014
  • Campeões Brasileiros: 1955,1956,1957,1958,1959,1960,1966,1967,1971,1974,1975,
    1976,1991,1992,1994,1995,1996, 1997,1998,1999, 2001, 2004, 2011, 2014, 2015, 2017

Vem aí o 69º Campeonato Brasileiro de Snipe

Caio Pantoja, novo capitão da Flotilha, está coordenando a programação. Estão sendo esperados a participação de cerca de 120 velejadores de diferentes regiões do País

Saiba mais no Aviso de Regata: https://goo.gl/fWHb9Q

Depois de sediar grandes campeonatos nacionais e de conquistar o título brasileiro em 2017 com Alexandre Paradeda e Lucas Mazim, em Ilha Bela (SP), o Janga volta a ser o centro da vela nacional de 20 a 27 de janeiro. A competição promete reunir cerca de 60 barcos. Só do Jangadeiros, já estão inscritos 10 embarcações.

Em 2017, depois de cinco dias e nove regatas em Ilhabela, o Brasileiro da classe teve uma disputa acirradíssima. Xandi trouxe para casa a sua 11ª medalha ouro, com apenas um ponto de vantagem sobre Bruno Bethlem e Dante Bianchi, segundos maiores campeões brasileiros da história da classe com nove títulos.

“Temos expectativa que seja um campeonato tranquilo, de confraternização da classe. Por ser em casa nos favorece, então a equipe está bem animada. Também queremos que este campeonato sirva para divulgar o Sul-americano de Snipe também aqui no Janga, em março. Neste ano, queremos fazer mais eventos e trazer mais atletas para o Snipe. Quero ajudar também na parte administrativa, estabelecer metas e planejar”

Caio Pantoja
Capitão da Flotilha de Snipe do Jangadeiros

Parabéns campeões da Regata das Gerações Nando Krahe

Obrigado à família Krahe por estar sempre com o Jangadeiros neste momento de amizade e muita emoção.

As gerações do Snipe se encontram e se complementam na Regata Nando Krahe:

Mais títulos para o Jangadeiros! O Clube é Ouro e conquista os três primeiros lugares do Estadual da Classe Snipe Fevers 2017!

Logo depois do grande momento que foi a Semana da Vela no Jangadeiros, o Clube sedia mais um importante competição e sai vencedor nos três primeiros lugares da tradicional classe Snipe e é vice na classe 470 do Campeonato Estadual da Federação Gaúcha de Vela (Fevers) 2017.

Foram seis regatas em três dias de competição de eventos instáveis, chuva e sol, bom índice técnico e muita garra dos atletas. Nossa dupla Gabriel Kieling, o Bolinha, e Átila Pellin sagraram-se os grandes campeões do Snipe e foram merecedores do primeiro Troféu Rotativo Carlos Henrique de Lorenzi. Uma emocionante homenagem ao Dedá, histórico campeão brasileiro e mundial do Snipe em 67,  Ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, atual Juiz Nacional de Regatas e sócio do Jangadeiros desde a década de 50.

O 2° lugar ficou com Fernando Kessler e Guilherme Medaglia que,  além de premiado atleta assina a criação do Troféu Rotativo, e o 3° foi conquistado pelos campeões mundiais Júnior e também do Sul Brasileiro de Snipe 2017, Tiago Brito e Antônio Rosa. E para completar o pódio  da classificação geral foram premiados em 4º lugar a dupla do Veleiros do Sul, Henrique Dias e Vilnei Goldmeier, e em 5º Carlos Felipe Hofstaetter e Chistian Hofstaetter.

Na classe olímpica 470, a dupla vencedora é Geilson Mendes e Gustavo Thiesen, do Veleiros do Sul, seguido pelas nossas atletas Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, e em 3º, a dupla Ignacio Varisco e Frederico Garcia, do Club Náutico San Isidro e Yach Clube Argentino.

Parabéns atletas !!!

“Foi um campeonato preparatório para o Brasileiro que vai acontecer aqui no Clube em janeiro. Este Estadual foi duro, com bastante vento, condições similares do que será o nacional.  Foi importante estarmos velejando juntos porque depois do mundial que corremos não estávamos conseguindo treinar.  Foi uma competição maravilhosa, conseguimos velejar bem, treinar manobras e conquistar o título. Também teremos o Sul Americanos em Porto Alegre e a preparação para as duplas mistas do Pan-Americano.

Gabriel Kieling e Átila Pellin, campeões estaduais da classe Snipe 2017

 “É uma grande satisfação podermos homenagear o Dedá colocando o seu nome no Troféu Rotativo do Estadual de Snipe.  Este troféu chega no momento certo, porque ele faz parte da história do Snipe do Jangadeiros e do mundo.  Nosso Clube tem tradição de conquistar grandes títulos na classe. Parabéns Dedá, você nos orgulha e tem sido muito importante nos inúmeros campeonatos no quais és juiz”

Pedro Pesce, comodoro Administrativo

“Este troféu que a classe Snipe me oferece é muito significativo para mim, eu fico muito comovido e agradecido ao pessoal,  porque sou oriundo da classe onde naveguei e tive o prazer de trazer títulos aqui para o Jangadeiros”.

Carlos Henrique de Lorenzi, o Dedá

Confira a súmula completa aqui: http://jangadeiros.com.br/wp-content/uploads/2017/11/Estadual-Snipe2017-final.pdf 

Campeonato Estadual de Snipe terá troféu próprio em homenagem ao Dedá

Troféu foi criado e produzido pelo capitão da flotilha de snipe, Guilherme Medaglia 

No mês de novembro, o Clube dos Jangadeiros irá receber o Campeonato Estadual da Classe Snipe. A competição terá uma boa novidade. Pela primeira vez, contará com o próprio troféu que levará o nome de Carlos Henrique de Lorenzi, o famoso Dedá. É uma merecida homenagem ao gerente nacional de Regatas que já conquistou grandes títulos na Snipe como o campeonato mundial e o pan-americano em 67.

A taça traz a imagem de uma narceja, ave que mede cerca de 30 cm de comprimento, possuindo bico longo e reto, além de um dorso escuro com faixas amareladas. Em inglês, o nome da ave é “Snipe” e é o símbolo dessa tradicional classe do iatismo.

A ideia da homenagem partiu do atleta Guilherme Medaglia. Há cerca de um ano, ele estuda entalhe em madeira na Casa do Artesão de Porto Alegre com o mestre Ary Minotto. Resolveu então usar esse novo talento em prol da flotilha da qual é capitão. “Demorei uns três meses para fazer o troféu, mas não o produzia diariamente. É uma contribuição a mais que pude oferecer para nossa flotilha”, diz Medaglia.

Duplas do Jangadeiros estão entre as TOP 15 da América do Sul no Snipe

Tiago Brito e Antonio Rosa terminaram em 6º e Gabriel Kieling e Lucas Mazim em 13º no Sul-Americano de San Isidro, Argentina

Mais uma vez, o Snipe voltou a dar alegrias ao Clube dos Jangadeiros. Tradicional classe no Clube, com mais de 60 anos de glórias nas águas, ela foi muito bem representada pelos jovens das duplas formadas por Tiago Brito e Antonio Rosa e por Gabriel Kieling e Lucas Mazim. Em San Isidro, Argentina, Tiago e Totó voltaram com o sexto lugar para casa e Bolinha e Sorriso com o 13º entre 41 participantes.

Nossos atletas enfrentaram condições bastante similares às encontradas no Guaíba: água barrenta, onda quicada e variação constate de direção e intensidade no vento. Correndo em casa, os atuais vice-campeões mundiais da classe, Luis Soubie e Diego Lipszyc subiram ao lugar mais alto do pódio. Mas os gaúchos sempre estiveram próximos aos hermanos.

”Saímos muito satisfeitos com o resultado no geral. O sexto lugar diz muito que estamos no caminho certo. Estávamos bem rápidos em todas as condições, o que foi nossa principal arma! Tivemos bastante velocidade e fizemos boas escolhas táticas ao longo do campeonato. Esta é a primeira vez que corro com o Totó e a ideia é continuar com a parceria. Somos muito amigos e conseguimos uma dupla bastante competitiva”, disse Tiago Brito.

Agora, as atenções se voltam para o Mundial de La Corunha – Espanha, que acontece em agosto. Juntam-se ao time do Jangadeiros nessa disputa, o multicampeão Alexandre Paradeda e Átila Pellin. 

Gabriel Kieling e Lucas Mazim são a 13ª melhor dupla da América do Sul no Snipe

Gabriel Kieling e Lucas Mazim são a 13ª melhor dupla da América do Sul no Snipe