Posts

João Kraemer e Daniele Capiotti são terceiro lugar no Sulcat 2017

Os atletas do Clube dos Jangadeiros seguem fazendo bonito neste 2017, conquistando grandes resultados Brasil a fora. Hoje (4), a dupla formada por João Kraemer e Daniele Capiotti ficou em terceiro lugar no Campeonato Sul-Brasileiro de Hobie Cat 16 – realizado no Iate Clube de Santa Catarina – Veleiros da Ilha – em Florianópolis. Os gaúchos somaram 13 pontos em nove regatas e ficaram atrás apenas de Felipe e Geisa Frey, de São Paulo, e dos campeões Ricardo Augusto Halla e Marcela Pereira, de Santa Catarina.

Durante os três dias de competição o vento deu um show a parte. Com intensidade progressiva, ele começou com 10 nós, passando para 18 no segundo dia e chegando a incríveis 23 nós no terceiro.  A força do vento no último dia, inclusive, provocou avarias em alguns barcos. A água quente e cristalina e as belas paisagens da Ilha da Magia também foram destaques do Sulcat 2017.

João e Daniele foram os mais bem colocados da flotilha do Jangadeiros, mas os outros membros também representaram muito bem as cores do Clube. Mario Dubeux e Karoline Bauermann (4º), Aleks Vasconcellos, que competiu ao lado de Flávia Castro, de Santa Catarina, (10º), Clóvis de Oliveira e Kátia Debus (11º), Eduardo Citolin e Nathassia Aurich (12º) e Mário e Sandra Saffer (13º) também desempenharam um ótimo papel.

Terminado o Sul-Brasileiro as atenções voltam-se para a principal competição nacional da classe neste ano acontece, que, por sinal, acontece no Jangadeiros. O Brasileiro de Hobie Cat (Brascat) será realizado entre os dias 10 e 18 de novembro.

O Aviso de Regata já está disponível, para conferi-lo clique aqui.

João Kraemer e Daniele Capiotti em ação no Sulcat 2017 Foto: Gabriela Vera

João Kraemer e Daniele Capiotti em ação no Sulcat 2017 Foto: Gabriela Vera

Velejada Natalina é no sábado: participe e faça o final de ano de uma criança mais feliz

Pelo terceiro ano consecutivo, o Papai Noel trocará o seu trenó pelo Hobie Cat e deslizará sobre as águas do Guaíba por um motivo nobre. Sábado, véspera de Natal, o bom velinho e seus ajudantes sairão do Clube dos Jangadeiros, às 14h, com destino a Praia da Alegria para distribuir presentes para as crianças carentes da região.

Quem deseja ajudar ainda tem tempo: a secretaria administrativa do Clube e a Escola de Vela Barra Limpa ainda estão recebendo os presentes. “Aqueles que puderem participar verão que a criançada, de dois a 13 anos, recebe os barcos com grande entusiasmo e até alguma desconfiança. Com pouco tempo, integram-se ao grupo fazendo aquela festa. Vamos demonstrar que, na água, somos sim uma grande família”, convida Clovis de Oliveira, um dos organizadores do evento.

Velejadores que se destacaram em 2014 são homenageados

Associados e convidados lotaram o Espaço Gourmet na última sexta-feira, 21 de março, em uma noite de festa e homenagens, promovida pelas flotilhas do clube, em parceria com a Comodoria. Amigos e familiares prestigiaram os velejadores do Jangadeiros que mais se destacaram neste primeiro trimestre e aproveitaram a oportunidade para saudar os campeões. O evento começou por voltas das 20 horas e contou com a participação de sócios de todas as idades.

Logo após o jantar, o vice-comodoro Esportivo, Francisco Freitas, comandou uma cerimônia, em que mais de uma dezena de velejadores foram homenageados. Eles receberam placas e foram saudados pelos presentes. Confira a relação de homenageados e as fotos do evento.

.

Optimist – Estreantes

– Joana Vilas Boas Ribas: Campeã brasileira na categoria Mirim.

– Luiza Howes Moré: Vice-campeã brasileira na categoria Mirim.

.

Optimist – Veteranos

– João Emílio Vasconcellos: Quarto colocado no último campeonato brasileiro e classificado para os campeonatos Europeu e Sul-Americano da classe.

– Guilherme Plentz: Oitavo colocado na classificação geral e vice-campeão na categoria Infantil, no último campeonato brasileiro. Classificado para os campeonatos Norte-Americano e Sul-Americano da classe.

– Breno Kneipp: Classificado para o Campeonato Norte-Americano da classe.

– Lorenzo Balestrin Correa: Campeão brasileiro na categoria Mirim.

.

420

– Tiago Brito e Andrei Kneip: Campeões brasileiros da classe.

.

Snipe

– Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling: Campeões brasileiros da classe e medalha de ouro nos Jogos Sul-Americanos.

– Lucas Mazim e Philipp Grochtmann: Campeões brasileiros da classe na categoria Junior.

– Hilton Piccolo e Bruno Gauer: Vice-campeões brasileiros da classe na categoria Master.

.

Hobie Cat 16

– Mario Dubeux e Karoline Bauermann: Representantes do Jangadeiros no Mundial da classe.

O amor de Mario Roberto Dubeux pela classe Hobie Cat

Pai, advogado e um apaixonado pela classe Hobie Cat. Este é Mario Roberto Arantes Dubeux, um pernambucano radicado em Porto Alegre há mais de 20 anos e um dos tantos entusiastas do veloz catamarã criado por Hobie Alter na década de 1960. Filho de Mario José Dubeux Junior, pioneiro da classe no Brasil, o associado do Jangadeiros começou a velejar em 1977, na proa do barco do pai, seu primeiro parceiro na vela. “A minha história na classe é muito singular. O meu pai foi o precursor do Hobie Cat no Brasil e faleceu muito cedo, com 38 anos. Eu tinha 14 anos e era o proeiro dele na época. Aquilo ficou na minha cabeça, como se eu não pudesse deixar a classe acabar. Foi algo que me motivou durante todos esses anos”, revela.

A partir daí, ele realmente não parou de velejar. Mais do que isso, passou a colecionar marcas impressionantes e, claro, amigos para a vida toda. Um deles é Claudio Broxete da Silva, o Mika, responsável por trazer Dubeux para o Jangadeiros no início dos anos 90. “Quando eu mudei para Porto Alegre, o Mika me convidou velejar na proa dele. Aí teve um campeonato brasileiro que a gente voltou brigando no avião, porque desde aquele tempo ele dizia que ia parar. Acabamos comprando dois barcos e separando a dupla”, diverte-se Dubeux, que até hoje tem em Mika um amigo e companheiro de velejadas. Os dois são, inclusive, recordistas em participações em campeonatos brasileiros, tendo disputado as últimas 20 edições.

Mas Dubeux não se restringe apenas às competições em território nacional. Apaixonado pela classe, ele também não perde um campeonato mundial desde 1998. Neste aspecto, o parceiro (e concorrente) é o capixaba Luiz Gonzaga Machado, o Machadão, presidente da Associação Brasileira da Classe Hobie Cat (ABCHC), da qual Dubeux é vice-presidente. “Se eu ligo pro Machadão dizendo que quero ir pro Mundial, antes de eu desligar, ele já comprou a passagem”, brinca o velejador do Jangadeiros. E não foram poucas regatas. Dubeux já competiu no México, na África do Sul, na China, na Nova Caledônia, em Fiji e em outros tantas belas praias do Brasil. Na maioria das vezes, sem apoio, contando apenas com o próprio esforço. “Mas eu vou porque eu gosto mesmo. O Hobie Cat é uma família mundial, tem um espírito diferente de qualquer classe”, explica.

A última empreitada do pernambucano de 49 anos foi o Campeonato Mundial, realizado na Jervis Bay, ao sul de Sydney, Austrália, entre os dias 31 de janeiro e 15 de fevereiro. Lá, Dubeux competiu em parceria com o filho, Victor, na categoria Master, e também com Karoline Bauermann, sua parceria desde 2007, e com quem venceu o último campeonato estadual. A dupla formada com o filho terminou em 56º lugar, enquanto a parceria com Karol ficou na 86ª colocação na Open. “Valeu muito a pena ter viajado até a Austrália e participado deste grande evento. Foi um grande aprendizado, que vou dividir com a turma aí do clube. Isso é o que vale”, ensina Dubeux.

Por sinal, ensinar nunca foi um problema para o advogado, que com frequência promove clínicas ou mesmo convida amigos para conhecer o esporte. “Eu faço sempre uma aposta com quem veleja pela primeira vez comigo. A pessoa pega um cheque meu de mil reais e, se não gostar, pode descontar o valor no banco. Nunca deixei de receber o cheque de volta”, gaba-se o velejador, concluindo: “A classe Hobie Cat é como uma Harley-Davidson, é um estilo de vida”.

Mario e Karol estão em 75º lugar no Mundial de Hobie Cat 16

Após o adiamento das regatas de terça-feira, 11 de fevereiro, devido à falta de vento, a fase decisiva do Mundial de Hobie Cat 16 começou nesta quarta com uma disputa acirrada na raia de Jervis Bay, ao norte de Sydney, Austrália. Classificada diretamente para as semifinais, a dupla formada por Mario Dubeux e Karoline Bauermann ocupa a 75ª colocação e precisa de uma média superior à dos concorrentes no segundo e último dia desta fase para poder chegar à final. Mantendo o favoritismo, os franceses Jerome Le Gal, último a conquistar o título, em 2010, e Marco Iazzetta estão na liderança.

O primeiro dia das semifinais começou com sol e vento de até 12 nós (20 km/h), permitindo a realização de três regatas. Depois de um 42º, Mario e Karol se recuperaram e fizeram um 24º e um 38º nas outras duas provas, mantendo a chance de chegar à fase final, que reunirá as 56 melhores duplas entre as mais de 300 que iniciaram o campeonato. As três provas decisivas das semifinais estão programadas para esta quinta-feira, 13 de fevereiro, a partir das 10 horas (21 horas desta quarta-feira no Brasil).

Confira tudo sobre o Campeonato Mundial da classe Hobie Cat 16 em hobieworlds.com.

Mario Dubeux e Karol vão competir na Austrália