Jangada News (2)

Jangada News → 2 de março de 2018

Jangada News
Newsletter do Clube Jangadeiros – Porto Alegre – Edição 2 de março de 2018
 

 

MARÇO DE BONS VENTOS: Está chegando a 24ª Copa Cidade de Porto Alegre de Vela de Oceano e o
Sul-Americano da Classe Snipe 2018

Depois de sediar o Brasileiro da Classe Snipe em janeiro, a agenda de competições recomeça no Janga neste final de semana a todo o vapor com a Abertura da Temporada das regatas de Monotipos da Federação Gaúcha de Vela (FEVERS) nas classes Snipe, Laser Standard, Radial e 4.7, 29er, classes 470 e 420. No Veleiros do Sul, correm as classes Soling e Hobie Cat 16.

Nos próximos dias 10 e 11, será a vez das regatas de Optimist Veteranos e Estreantes no Clube. E no dia 17, o Janga completa 24 anos de homenagens ao aniversário da capital gaúcha com a Copa Cidade de Porto Alegre. O mês encerra com o grande evento internacional da classe Snipe, que deverá trazer para a nossa sede cerca de 100 atletas de Cuba, Venezuela, Argentina, Uruguai, Chile e Brasil. Desejamos a todos os atletas mais bons momentos de convivência, novas amizades e regatas desafiadoras nas águas de bons ventos do nosso Guaíba.

XXIV COPA CIDADE DE PORTO ALEGRE, RUMO ÀS ÀGUAS PARA HOMENAGEAR A CAPITAL

O 246º aniversário de Porto Alegre, festejado em 26 de março com uma longa programação cultural pela cidade, volta a receber a homenagem do Janga com uma competição que envolve as imponentes e belas embarcações de Oceano

A tradicional Copa Cidade de Porto Alegre, criada pelo Clube há 24 anos, vai pintar de cores a orla do Guaíba no final de semana de 17 e 18. Os cerca de 50 barcos que estão previstos participar irão competir no sábado nas classes ORC Internacional, RGS, J-24 , Microtoner 19 e Solitário.
No domingo, será o dia da Regata Média e o grande Velejaço aberto para os barcos de Cruzeiros com percurso que passará pela Usina do Gasômetro para apreciação do público.

As três principais premiações da competição – troféu rotativo da classe ORC, troféu rotativo da classe RGS e barco Fita Azul (primeira embarcação a cruzar a linha de chegada no Velejaço) ficaram em 2017 com o Janga. O barco Hobart, do Comandante Airton Schneider, o barco Caulimaran, do Comandante Emilio Strassburger e o barco San Chico 3, do Comandante Francisco Freitas, foram os grandes campeões. E atenção, as inscrições já estão abertas na sede do Clube dos Jangadeiros ao custo de R$ 40 por tripulante até o dia 10 e após esta data o valor sobe para 50 reais por pessoa.

“É uma justa homenagem que todos prestam à cidade, berço de grandes velejadores. Sempre é importante lembrar a relação que a vela brasileira tem com Porto Alegre, onde se pratica este esporte em alto nível. É o primeiro evento do ano da vela de Oceano na Capital, por isso há sempre uma grande expectativa. Este ano estou especialmente motivado, pois quero medir forças entre as tripulações e embarcações que foram ao circuito Oceânico de Santa Catarina. Lá, tiveram êxito e certamente retornarão às raias com grande entusiasmo.”

Rodrigo Castro, vice-comodoro Esportivo

Aviso de regata: https://goo.gl/EkNpmy

América Latina em busca do título e classificação
para o Pan no Janga

Sem tempo para descansar, vamos receber de 23 a 31 de março o
Sul-Americano da Classe Snipe 2018. Vale lembrar a nossa tradição de campeões na classe: o Janga foi 10 vezes campeão sul-americano e
27 vezes campeão brasileiro
 

A expectativa é de que uma centena de velejadores, incluindo campeões mundiais, pan-americanos, sul-americanos e brasileiros participem do importante campeonato internacional, representando países como Argentina, Uruguai, Venezuela, Chile e Cuba, além do Brasil.

A competição deste ano cresceu em relevância por proporcionar vagas para o Pan-Americano de 2019, que será realizado em Lima, no Peru, de 26 de julho a 11 de agosto. Lembramos a recente conquista do título de campeão brasileiro na classe, com Xandi Paradeda e Lucas Mazim campeões em dupla pelo segundo ano consecutivo, e do 1º lugar Feminino, com Amanda e Geórgia Rodrigues.

“Esta competição é muito importante, além de ser um Sul-Americano da categoria, também dá classificação para o Pan-Americano de 2019. As expectativas são muito boas. As competições neste nível tão alto são ótimas para deixar a flotilha afiada, treinada, traz gente nova para a flotilha e coloca a classe em evidência”.

Caio Pantoja, capitão da Flotilha de Snipe

“Irei correr o Sul-Americano com o Rodrigo Link Duarte. Vai ser uma situação diferente, uma dupla nova e um campeonato difícil. O Rodrigo tem como característica ser muito dedicado e perfeccionista, é um velejador de altíssimo nível. Estou me dedicando bastante na preparação, controlando a alimentação e fazendo exercícios físicos”.

Lucas Mazim, bi-campeão brasileiro de Snipe ao lado de Xandi Paradeda

“Eu e o Lucas velejamos algumas vezes juntos antes. Ele vai me facilitar muito a vida, o Lucas está super bem treinado, foi campeão brasileiro com o Xandi há pouco tempo. Será uma boa competição”.

Rodrigo Link Duarte

“Estamos mais entrosadas e com maior ritmo para este Sul-Americano. Competir em casa é sempre muito bom e o pátio da Clube já está animado para o campeonato. A expectativa é melhorar na classificação geral no Sul- Americano open e correr o sul americano misto, dessa vez separadas”.

Amanda Rodrigues, campeã feminina no Campeonato Brasileiro de Snipe

“Competir em casa é sempre bom, a gente se sente mais tranquilo. Vai ser um campeonato internacional de alto nivel que cria uma expectativa boa. Acho que será uma competição interessante pela qualificação de todo o pessoal. Nós do Janga temos a vantagem de conhecer a raia, por isso, será legal de ver os barcos do Clube na água em busca de um bom resultado”.

Diego Falcetta

Aviso de regata: https://goo.gl/nr8BL5

José Antônio de Freitas: Confraternizações e uma vida mais saudável

Aos 70 anos, sócio do Clube dos Jangadeiros voltou a realizar exercícios físicos depois da aposentadoria

O Sol forte brilhava no céu, as árvores do Clube faziam a sombra necessária para a temperatura ficar agradável. Ao fundo, um senhor caminhando com passos firmes e focados, o suor escorrendo pelo corpo, típico de um exercício bem realizado.

Assim era a visão de José Antônio de Freitas, em uma das tantas tardes em que visita o Janga. Simpático e solícito, parou para conversar, e desde o primeiro momento o papo fluiu.

Aos 70 anos, o aposentado valoriza os momentos em que está na sede do Clube, seja exercitando-se ou festejando. Basicamente estas são as duas funções do Janga na vida de José, mas nem sempre foi assim.

“Estava com uma rotina sedentária na aposentadoria, sempre fui esportista, mas nos últimos tempos precisei voltar a fazer exercícios. Tinha 116 kg, todos os exames ruins, então recebi um alerta da minha filha e resolvi mudar meus hábitos. Comecei a fazer esportes novamente e agora nado e caminho aqui no Janga. Faço em torno de 20 km de bicicleta na orla do Guaíba, faço Pilates e ainda jogo tênis”, contou.

A filha Andréa acompanhando o pai nos exercícios de bicicleta

Segundo José, a aposentadoria é assim mesmo: De um lado, a tranquilidade de não precisar mais trabalhar, livrar-se das responsabilidades do dia a dia, ter tempo para fazer o que mais gosta. De outro, o comodismo, os vícios e a preguiça.

“Eu acho que é uma obrigação fazermos algo. A pessoa não pode se enterrar na aposentadoria, ficar em casa parado. É importante ter uma vida ativa, para não se perder em outras coisas. Além dos esportes, gosto bastante de viajar e fazer trilhas de jipe”, comentou.

“Além dos esportes, gosto bastante de viajar e fazer trilhas de jipe. O clima dos jipeiros é muito parecido com o dos esportes náuticos, há muita parceria, sempre um ajudando o outro”

Das trilhas aos momentos no Clube, exercitando-se ou comemorando, José segue com um sorriso no rosto. Enquanto descansava da caminhada diária, tomou a palavra para falar do Jangadeiros.
“Foi uma grande escolha me associar ao Janga. A beleza dessa área é impressionante. Aqui tu desfrutas de uma paisagem maravilhosa, podes caminhar sem nenhum problema, ainda tem a piscina para nadar. A organização é muito boa, a grama está sempre cortada, as coisas limpas, temos segurança”, avaliou.

Sempre ao lado da esposa Régia, muitos grandes momentos no Janga

O Clube que se tornou praticamente uma segunda casa para José nos últimos 10 anos. Além de aproveitar o dia na Ilha, as confraternizações viraram frequentes. Sempre ao lado da esposa Régia Rocha de Freitas, há algum tempo a virada de Ano Novo do aposentado é assim: “Eu passo todas as entradas de ano no Janga. É um ambiente muito bom, entre amigos. Em termos de festa é o que mais gosto, não traz nenhuma preocupação”.

Entre tantos, alguns momentos ficam registrados na nossa memória com aquele carinho especial. Quando perguntado sobre o dia mais marcante no Janga, o aposentado não tem dúvidas: Um churrasco de Natal com os três filhos, Andrea, Felipe e Débora.

“No ano passado fiz um churrasco maravilhoso no almoço de Natal. Reservei a churrasqueira, vim cedo para o Janga, coloquei redes para descanso e esperei meus filhos chegarem. Depois, assamos as carnes ouvindo música e conversando. É maravilhoso poder fazer este tipo de evento”, lembrou com carinho. 

“Eu passo todas as entradas de ano no Clube. É um ambiente muito bom”

 

Parabéns, multicampeãs!
Nossas atletas, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan conquistam o título no Feminino do Sul-Americano da classe olímpica 470

A dupla também conquistou o 3º lugar na classificação Geral da competição realizada no Club Náutico San Isidro, em Buenos Aires


“Ficamos felizes de vencer cinco das 10 regatas e conquistar o título no Feminino”
Crédito: Jorge Cousillas / El Ojo Nautico

No último domingo (25), as atletas venceram na categoria Feminino no Sul-Americano da classe 470, realizado nas águas de San Isidro, em Buenos Aires, desde o dia 22 de fevereiro. As meninas do Janga ainda conquistaram o pódio na classificação Geral, com o 3º lugar.

O início de competição foi muito bom para Fernanda e Ana, que terminaram os dois primeiros dias na liderança da competição. Contudo, um problema no barco fez com que a dupla abandonasse uma das regatas do terceiro dia de competições, perdendo a possibilidade de descarte em alguma outra prova.

Os brasileiros Geison Mendes Dzioubanov e Gustavo Canal Thiesen, do Veleiros do Sul, conquistaram o 1º lugar, e os argentinos Fernando Gwozdz e Tomas Dietrich, o 2º. 

O resultado no Sul-Americano da Classe 470 contou pontos para o ranking da Federação Internacional de Vela. Foram 13 duplas disputando a competição, representando a Argentina, Brasil, Chile, Uruguai e Paraguai.

Grande vitória de  Guilherme Plentz: Nosso atleta conquista uma das duas vagas da América do Sul para os Jogos Olímpicos da Juventude

Estreante na classe BIC Techno 293, o jovem que completa 17 anos na próxima semana, representará o Brasil na Olimpíada deste ano, que será realizada em Buenos Aires, na Argentina. Nesta quinta-feira (1º), o atleta já começa a disputa do Sul-Americano da classe RS:X, sua especialidade

“Agora pretendo treinar com todas as forças que tiver para chegar na Olimpíada e mandar bem também”
Crédito: Arquivo Pessoal

Nesta quarta-feira (28), o jovem atleta do Clube dos Jangadeiros, Guilherme Plentz, conquistou uma das duas vagas da América do Sul para disputar os Jogos Olimpícos da Juventude de 2018, que será realizado no mês de outubro, em Buenos Aires, na Argentina. O velejador estreou na classe na BIC Techno 293 e surpreendeu garantindo-se como representante brasileiro na classe.

“Eu atribuo a conquista a minha família. A todos que me ajudaram no Janga, o Sorriso (Lucas Mazim); o pessoal que veleja de barco da flotilha jovem, que me ajudava a ter noção de velocidade; enfim, a todos que acreditaram em mim.

Eu sabia que precisava treinar mais, para chegar onde eu cheguei. Nunca tinha velejado nesta prancha, mas treinei na RS:X, acho que me deu uma boa base para chegar aqui e conquistar essa vaga. Agora pretendo treinar com todas as forças que tiver para chegar na Olimpíada e mandar bem também”, comentou.

Na Geral, Guilherme ficou em 6º lugar

Além do talento, Guilherme também precisou contar com a sorte para conquistar a vaga nas águas de Paracas. O atleta terminou a seletiva na 6ª colocação Geral, atrás de dois argentinos, dois peruanos e um estadunidense. Outros três brasileiros disputavam o campeonato.

Como os Jogos serão realizados na Argentina, os competidores do país vizinho não estavam na briga por uma das duas vagas do Continente, bem como o norte-americano, que está ligado a outra federação. Entre os dois velejadores locais, apenas um poderia representar o país na Olímpiada e, por isso, Guilherme ganhou a vaga inédita para o Jangadeiros.

Guilherme não terá muito tempo para comemorar a classificação inédita, pois nesta quinta-feira (1) o atleta já começa a disputa do Sul-Americano da classe RS:X. O campeonato também ocorre em Paracas até o dia 5 de março. Entre os classificados para os Jogos, está a também brasileira Giovana Prada, filha do atleta de vela olímpica Bruno Prada.

“Não paro de chorar. São tantas renúncias familiares para manter um filho num sonho desses que, quando tem um desfecho lindo assim, a gente vê que vale a pena!”

Priscila Plentz, mãe do atleta

 Dodô Paradeda assume como diretor da Escola de Vela Barra Limpa e cursos retornam
no dia 10 de março

Experiente velejador irá comandar as ações de formação na vela. As inscrições para as turmas de Optimist Iniciação e Avançado já estão abertas e as aulas começam no sábado (10). Curso é aberto ao público.
Convide seus amigos e venha viver esta prazeirosa aventura

 

“A Escola é fundamental para o desenvolvimento do Jangadeiros”
Crédito: Neiva Mello

Neste mês, Luiz Eduardo Paradeda, o Dodô, assume como diretor para dar seguimento ao grande trabalho de formação que a nossa escola de vela realiza há mais de 40 anos. “É importante assumir este cargo por ser o berço de toda a criança que vai iniciar na vela. É algo muito relevante para o Clube, para formar as novas gerações. A Escola é fundamental para o desenvolvimento do Jangadeiros”, comenta Dodô.

O experiente velejador ainda está em fase de adaptação ao novo cargo, mas tem história no mundo da Vela e dentro do clube, sendo membro de uma das famílias mais tradicionais na vela nacional. “Só quero colaborar o máximo possível para que a escola se desenvolvam cada vez melhor no Jangadeiros”, diz.

Aulas em água sempre ocorrem com o apoio de bote inflável a motor com instrutor

Após a realização de cursos especiais no verão, a Escola de Vela Barra Limpa já está pronta para iniciar o calendário regular de 2018. As primeiras aulas começam já neste dia 10, com a classe Optmist, para iniciantes e também para velejadores com mais experiência, no Avançado. As aulas são praticadas em pelo menos 10 finais de semanas na Escola de Vela Barra Limpa. Nos sábados, as turmas ocorrem entre 13h30min e 17h30min, enquanto no domingo, o horário de funcionamento é das 9h30min até às 12h30min.

INICIANTES - O Optimist para iniciantes é voltado para crianças a partir dos 7 anos de idade, com aulas teóricas e práticas. Destaque para aprendizagem de nós, nomenclaturas do barco, montagem do barco, direções dos ventos, manobras, formas de velejar, aprende a virar e desvirar o barco, o uso da bolina e regular as velas. Os alunos começam velejando de dupla e o objetivo é de que até o final do curso a criança consiga velejar sozinho no barco o maior tempo possível e com confiança.

AVANÇADO - Após concluir o curso de Iniciação, o aluno tem a possibilidade de permanecer por tempo indeterminado no curso Avançado, que visa a velejada no barco, apresentação de percursos, treinos com e sem boias e também a participação de pequenas e divertidas velejadas, ganhando mais confiança e experiência para que no futuro possa optar por integrar a Flotilha oficial do clube.

SERVIÇO

Escola de Vela Barra Limpa: 51- 30945770
escoladevela@jangadeiros.com.br
http://jangadeiros.com.br/criancas/

 Amigos para Sempre!

Um click surpresa com apenas três integrantes do tradicionalíssimo “Churrasco dos Piranhas”, encontro que acontece há 57 anos, sem interrupção, e sem a presença do sexo feminino. Na pauta um bate-papo relax, um pouco de futebol, uma pitada de política e muitas recordações de um tempo em que o clube não era nem sombra do que é hoje

“Este momento é sempre importante para todos nós, de muita amizade, confraternização e muito carinho”, diz o presidente do Conselho do Janga, Paulo Renato Paradeda (à direita), acompanhado dos “piranhas” Arno Kern e Paulo Sergio Paradeda

 

http://www.470.org/default/news/new/text/470-south-americans-victory-to-brazil

470 SOUTH AMERICANS – VICTORY TO BRAZIL

Sailboats representing Brazil won the 470 South American championship in Argentina.

Brazilians Geison Mendes Dzioubanov and Gustavo Canal Thiesen, from Veleiros do Sul, won the first place, and the Argentineans Fernando Gwozdz and Tomas Dietrich, the 2nd. The result in the South American Class 470 counted points for the ranking of the International Sailing Federation. There were 13 teams in the competition, representing Argentina, Brazil, Chile, Uruguay and Paraguay.

The Jangadeiros’ duo, Fernanda Oliveira and Ana Barbachan, won yet another title in their victorious sailing career and still went up the podium in the General classification, with the 3rd place and first in Women. The start of the competition was very good for Fernanda and Ana, who finished the first two days leading the competition. However, a problem in the boat caused the pair to abandon one of the races of the third day of competitions, losing the possibility of discarding in some other race.

“Today we were not able to take a chance on the starts, as we did not have a discard.” Yesterday we lost a race because of the boat fault, but we were happy to win five of the 10 races in the championship and win the Women’s Championship”, said Fernanda.

The event was held in the waters of San Isidro, Buenos Aires, February 22-25 and was organized by Club Náutico San Isidro, Buenos Aires.

http://www.nautica.com.br/fernanda-oliveira-e-ana-barbachan-sao-campeas-no-feminino-no-sul-americano-de-470/

No último domingo (25), as atletas Fernanda Oliveira e Ana Barbachan venceram na categoria Feminino no Sul-Americano da classe 470, realizado nas águas de San Isidro, em Buenos Aires, desde o dia 22 de fevereiro.

As meninas ainda conquistaram o pódio na classificação Geral, com o 3º lugar. O início de competição foi muito bom para Fernanda e Ana, que terminaram os dois primeiros dias na liderança da competição. Contudo, um problema no barco fez com que a dupla abandonasse uma das regatas do terceiro dia de competições, perdendo a possibilidade de descarte em alguma outra prova.

“Hoje não conseguimos arriscar nas largadas, visto que já não tínhamos descarte. Ontem perdemos uma regata em função da avaria no barco. Mesmo assim, ficamos felizes de vencer cinco das 10 regatas do campeonato e conquistar o título no Feminino”, disse Fernanda.

Os brasileiros Geison Mendes Dzioubanov e Gustavo Canal Thiesen, do Veleiros do Sul, conquistaram o 1º lugar, e os argentinos Fernando Gwozdz e Tomas Dietrich, o 2º. O resultado no Sul-Americano da Classe 470 contou pontos para o ranking da Federação Internacional de Vela. Foram 13 duplas disputando a competição, representando a Argentina, Brasil, Chile, Uruguai e Paraguai.

 

http://almanautica.com.br/2018/02/27/sul-americano-da-classe-470-2/

Notícias Náuticas

https://noticiasnauticas.com/2018/02/26/brasileiros-sao-pentacampeoes-sul-americanos-de-470/

Brasileiros são pentacampeões sul-americanos de 470

Geison Mendes e Gustavo Thiesen venceram o Campeonato Sul-americano da classe 470 que encerrou neste domingo no Club Náutico San Isidro, em Buenos Aires. A boa regularidade dos resultados nas 10 regatas fez a dupla do Veleiros do Sul alcançar o título de pentacampeã sul-americana. Geison e Gustavo fazem parte da Equipe Brasileira da CBVela 2018 e estão em campanha olímpica para Tóquio 2020.

As demais classificações do Veleiros do Sul foram: 5º Ricardo Paranhos e Andrei Kneipp, 8º Pedro Correia e Rodolfo Streibel e 9º R. Regusci e J. Regusci (VDS/YCU). As gaúchas Fernanda Oliveira e Ana Barbachan ficaram em terceiro na classificação geral e primeiro na categoria feminina.

Brasileiro conquista uma das duas vagas da América do Sul para os Jogos Olímpicos da Juventude

http://www.nautica.com.br/brasileiro-conquista-uma-das-duas-vagas-da-america-do-sul-para-os-jogos-olimpicos-da-juventude/?doing_wp_cron=1520002128.6606988906860351562500

Nesta quarta-feira (28), o jovem atleta do Clube dos Jangadeiros, Guilherme Plentz, conquistou uma das duas vagas da América do Sul para disputar os Jogos Olimpícos da Juventude de 2018, que será realizado no mês de outubro, em Buenos Aires, na Argentina. O velejador estreou na classe na BIC Techno 293 e surpreendeu garantindo-se como representante brasileiro na categoria.

“Eu atribuo a conquista a minha família. A todos que me ajudaram no Janga, o Sorriso (Lucas Mazim); o pessoal que veleja de barco da flotilha jovem, que me ajudava a ter noção de velocidade; enfim, a todos que acreditaram em mim. Eu sabia que precisava treinar mais, para chegar onde eu cheguei. Nunca tinha velejado nesta prancha, mas treinei na RS:X, acho que me deu uma boa base para chegar aqui e conquistar essa vaga. Agora pretendo treinar com todas as forças que tiver para chegar na Olimpíada e mandar bem também”, comentou.

Além do talento, Guilherme também precisou contar com a sorte para conquistar a vaga nas águas de Paracas. O atleta terminou a seletiva na 6ª colocação Geral, atrás de dois argentinos, dois peruanos e um estadunidense. Outros três brasileiros disputavam o campeonato.

Como os Jogos serão realizados na Argentina, os competidores do país vizinho não estavam na briga por uma das duas vagas do Continente, bem como o norte-americano, que está ligado a outra federação. Entre os dois velejadores locais, apenas um poderia representar o país na Olímpiada e, por isso, Guilherme ganhou a vaga inédita para o Jangadeiros.

Guilherme não terá muito tempo para comemorar a classificação inédita, pois nesta quinta-feira (1) o atleta já começa a disputa do Sul-Americano da classe RS:X. O campeonato também ocorre em Paracas até o dia 5 de março. Entre os classificados para os Jogos, está a também brasileira Giovana Prada, filha do atleta de vela olímpica Bruno Prada.

 
Jangada News
Nosso Facebook Nosso Twitter Nosso site Nosso Instagram