pampeiro no trapiche

Sócio em foco : O cruzeirista Alexandre Gadret

A rotina de trabalho do diretor-geral da Rede Pampa de Comunicação, Alexandre Gadret (39 anos), é intensa e exige uma enorme responsabilidade. A empresa é um dos maiores grupos de comunicação do Rio Grande do Sul: são 18 emissoras de rádio, quatro geradoras de televisão e mais de 106 retransmissoras, além do jornal O Sul.O executivo também atua como vice-presidente da Associação Rio-grandense de Imprensa (ARI) e da Federação das Associações Comerciais do Rio Grande do Sul (Federasul) e é conselheiro do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) e do Clube Jangadeiros.

 Em meio a este ritmo, tudo que Gadret quer ao entrar no barco que construiu praticamente sozinho em 2016 (um modelo Van de Stadt, chamado Pampeiro) é relaxar. “Minha vida profissional exige muita concorrência, por isso não gosto de competir no horário de lazer”, diz.

Engenheiro Elétrico por formação, o cruzeirista costuma velejar pelo menos uma vez por mês, “menos do que gostaria”. “Antigamente, era no mínimo três passeios mensais”, recorda Gadret, que afirma amar a natureza e o Rio que banha a capital gaúcha. “Eu e minha esposa somos apaixonados pelo Guaíba e por Porto Alegre.”

Filho de Otávio Dumit Gadret e Sandra Maria Gadret, Alexandre é casado com Elisa DuarteGadret, sua companheira de cruzeiro desde quando começaram a namorar, em 2000. Além da esposa, o velejador também costuma levar nos passeios de barco outros dois integrantes da família: o casal de border collie Thor e Bella, ambos com oito anos de idade.

Todos os anos, o quarteto passa o Réveillon a bordo do veleiro, onde além da ceia, também confraternizam alguns dias de descanso. “Além do Guaíba, gosto muito da Lagoa dos Patos”, aponta o cruzeirista, que já velejou por muitos lugares do mundo. “Gosto muito de velejar de windsurf.

Pelos 16 anos de idade, sob influência do meu tio, Fernando Gadret (Doca), retornei à vela através do windsurf”, comenta Gadret, lembrando que aos oito anos foi aluno do curso de Optimist da escola de vela Barra Limpa.

Sócio do Clube desde que nasceu, ele acabou se afastando do esporte por um período, até que no Ensino Médio a paixão despertou de vez. “Através do meu colega de colégio e sócio do Janga, João Henrique Zullo Castro, passei a frequentar mais o Clube e a me interessar mais por veleiros”, recorda. Outro amigo que influenciou bastante foi o também sócio do Janga,Carlos Humberto Goidanich. “Na verdade, ele e sua esposa (Karen) foram meus mentores e o amor à vela e à natureza nos uniu”, declara Gadret. Aos 19 anos, ele comprou seu primeiro barco de oceano (de 23 pés), chamado Nirak.

Ainda que os passeios sobre as águas sejam mais espaçados do que antigamente, Gadret está permanentemente no Clube. “Adora ir para lá, nem que seja pra dar uma olhada no barco, e estou sempre usando a estrutura do Janga.”